sexta-feira, janeiro 30, 2004

O leitor do Nelsu.

Nós aqui no Nelsu, que não andamos a dormir, tentámos á custa de muito processamento estatístico de dados identificar o leitor tipo do nosso agradável espaço Blogosférico. Chegámos á seguinte conclusão:
O leitor tipo do Nelsu é um homem ou mulher na faixa etária dos 12 aos 85 com estatura média de 1,70m, peso entre 45 e 100 Kg
e de todos os quandrantes políticos. Fora deste grupo estão "A Família Demolidora, A mana Tólinha e os gémeos Tintins."
Como nota final descobrimos que 80% das visitas são nossas, 15% dos amigos mais chegados, 3% da minha mãe, e os restantes 2%
da Sô Dona Palmira. A todos um grande bem haja!

terça-feira, janeiro 27, 2004

Aumentos.

A Ministra das Finanças abriu os bolsos e aumentou o subsídio de refeição da função pública em 12 cêntimos. O Nelsu realizou entrevistas de Rua e captou as seguintes reacções:

"12 cêntimos??? Quanto é essa merda em contos?"
José Manuel - Cantoneiro de Limpeza da C.M.L.

"12%? Arre foda-se! É este ano que troco de carro! Viva a ministra!"
Belarmino Silva - Escriturário da 2ª repartição de Finanças de Almada

"Essa puta que meta os 12 cêntimos no cú!"
António Gervásio - maquinista da CP

"São sempre os mesmos a pagar a crise! Mother Fucker!"
Victor Antunes - Professor de Inglês na Escola Secundária da Pontinha

" É lamentável, mas temos de apertar o cinto!"
Aníbal Sequeira - Coordenador Regional do I.E.F.P.

" Em ano de contenção orçamental há que tomar medidas!"
Jaime Labuge - Director de Informação do I.N.E.

" É uma medida de coragem que conta com o meu apoio"
Bernardo Flores - Membro Conselho de administração da C.G.D.

" Aquela incompetente...Disse-lhe 2 cêntimos!Já me fodeu o orçamento!"
Durão Barroso - Primeiro Ministro do Governo de Portugal

ANITA

Pelo BdE soube que a Anita está para as curvas.



segunda-feira, janeiro 26, 2004

ETERNO JOVEM

Hoje estamos todos tristes. As imagens do último sorriso de Feher que ontem registámos, dificilmente irão sair-nos da memória. Demos de caras com a morte e percebemos o drama que ela acarreta, seja a do Miklós ou a do mais comum dos adeptos. Naturalmente estamos todos solidários com quem mais sente a sua perda.


sexta-feira, janeiro 23, 2004

S.O.B.

O.
B.


QUASE...

U
A
S
E
.
.
.


WHO'S THIS DONKEY WHO'S TURNING INTO AN ELEPHANT?

.

NELSU HOMENAGEIA CARLOS RAMOS

O Nelsu já circula na Blogósfera, e numa das suas pesquisas encontra um blog que se chama Casa do Fado, e lá encontra o fadista que sempre admirou, Carlos Ramos. Vai daí resolve homenagear a figura no seu estabelecimento de lazer. Segue então o diálogo:

Nelsu , de copito na mão fala aos fregueses: Na Casa de Fado, encontrei pedacito literário referente a Carlos Ramos um fadista de outros tempos, e personalidade ilustre. Nesse post tem uma breve descrição suas das façanhas, do qual sublinho este trecho, “(…) naquela altura de o 'Amor é Louco', Carlos Ramos e Manuel de Almeida davam cartas (…)”. Bem, se dizem é porque é verdade.
Do seu reportório destaca-se a canção “Não venhas tarde”.
Nelsu: Assim, e sobre tudo para os fregueses mais novinhos, vamos lá conhecer a letra e a música desta canção. Quando falar sobre a letra vou mandar uma "piaducha" porque a gente tem que se rir, não é verdáááááááde? Rir faz bem à saúde e não se paga mais por isso.
E ainda o Nelsu com o seu ar marialva: Fadista !!! Venha de lá esse fadinho, mas não apresentes os músicos porque não temos tempo para isso. Os fregueses estão com pressa e têm que ir trabalhar.
Fadista fala, e canta: Vá atenção, um, dois, três…um, dois…



NÃÃÃÃÃÃO VENHAS TARDE DIZES-ME TU COM CARINHOOOOOOOO
SEEEEEEEEM NUNCA FAZER ALARDE DO QUE ME PEDES BAIXINHOOOOOOOO
NÃÃÃÃÃÃO VENHAS TARDE EU PEÇO A DEUS QUE NO FIIIIIIIIIIIIIIIM
TEEEEEEEEU CORAÇÃO AINDA GUARDE UM POUCO DE AMOR POR MIIIIIIIIIIIIIIM
--------------------------------------
TUUUUUUUU SABES BEM QUE EU VOU PRÁ OUTRA MULHEEEEEEEEEER
QUEEEEEEE ELA ME PRENDE TAMBÉM QUE EU SO FAÇO O QUE ELA QUEEEEEEEEEEER
TUUUUUUUUU ESTÁS SENTINDO QUE TE MINTO E SOU COBARDEEEEEEEEEEEE
MAAAAAAAAAS SABES DIZER SORRINDO MEU AMOR NÃO VENHAS TARDEEEEEEEEEE
(…)

Nelsu: eeeehhh! Pára! “Prontos” já chega…
Fadista meio a cantar meio a “dezer”: NÃÃÃÃÃÃO VENHAS TARDE DIZES-ME SEM…oh chefe, mas ainda não acabei ...
Nelsu: “Prooooooontos”, está caladinho. Não faz mal, já dá para os fregueses perceberem a estória, e eu mandar a minha graçola, Eh!Eh!Eh!Eh!Eh!Eh!...
Fadista: “Prontos”, Chefe! Seja feita a sua vontade. Oh Chefe, mas o “guito” cai à mesma, não cai?
Nelsu: Está “sogadito”, que hoje já tens que chegue para dar de comer à tua mulher, aos teus filhos e à tua “amiga”. Aaaahhhhhnnnn!...
Fadista: Obrigado chefe, você é um anjo. Abençoado patrão, Senhor!
Nelsu:… Aaaahhhhhnnnn!... Nesta fase da letra já dá para os fregueses perceberem que esta canção conta a estória de um rapazola, casado, pai de filhos, já com idade para ter juízo (e pisco o olho ao fadista), mas que no entanto o seu fado é fod…sei que foi uma “graçola pesadóta" e sacada a ferros mas...mas teve que ser! E o que tem que ser tem muita força.
O fadista corou:...

quarta-feira, janeiro 21, 2004

DESABAFO EU

Li um post do Ivar e verifiquei que ele não vai na letra do Pipianismo, corrente brejeira Filosófico-Literária. Nesse post de 27 de Dezembro, escreve-se algures «(…) o meu Pipi é uma merdita ao nível do Zé Cabra, ainda por cima tornou-se em mais uma produto comercial, a vender um embrulho sem nada dentro(…)» . Estou parcialmente de acordo, o Pipi está-se a tornar num produto comercial, mas não significa que tudo o que é comercial é mau. É justamente aqui que começamos a ser dissonantes, o Pipi é um embrulho e um produto. Um embrulho bastante mal cheiroso – ordinário – mas com muito conteúdo.
De alguma maneira sou um concessionário do Pipi, mas tento apenas alertar para o cuidado que se deve ter com as leituras na diagonal, e que muitas vezes levam a conclusões precipitadas, comparação do Pipi com o Zé Cabra é muito, muito forçada, diria mesmo que estão em pólo opostos. Pessoalmente, do Pipi apenas tiro o gozo sorrir frente ao monitor, fora isso à boa maneira Pipiana: “eu quero é que o Pipi se foda”.

Mais à frente vou utilizar depoimentos de especialistas porque por mais que tentasse, não conseguia construir uma boa definição do Pipi. Como tal, e para começar, nada como chegar lá por comparação. Eis por exemplo, dois versos da época Pré-Pipiana:

Chorai brochistas, chorai
Tenho o caralho arranhado
Tenho o caralho todo magoado
Isto assim não pode ser

Meti-me com uma daquelas
Que anda por aí aos serões
Por lhe ofender as goelas
Ela mordeu-me os colhões


Autor Anónimo, quem mo ensinou foi o Américo J.O.S.



E agora um fragmento Pipiano:

VIOLÊNCIA DOMÉSTICA, PARA QUE SERVE?
Descobri que o calendário com que ando a bater punhetas é de uma campanha contra a violência doméstica. Tem uma data de modelos em “nu artístico”. Chama-se “nu artístico” porque, depois de as ver, fico com ânsia criadora. Mormente, ao nível das colagens com papel higiénico.
Quer-me parecer que é algo contraproducente, pôr-se mulheres daquelas a fazer campanha contra a violência doméstica, quando são, precisamente, mulheres daquelas que estão na génese da violência doméstica. Um gebo chega a casa, olha para o trambolho que lá tem, compara com o calendário de gajas boas e só lhe apetece dar uma carga de porrada na mulher. Aí, ocorre a democratização da violência: primeiro espanca a esposa, depois espanca o macaco.
Se querem a minha opinião – e eu sei que sim – o facto de um homem e uma mulher partilharem uma casa configura imediatamente um caso de violência doméstica. Porquê? Porque haverá alturas em que, embora estejam debaixo do mesmo tecto, não estarão embrenhados no chavascal – nem em actividades relacionadas, como lavagens ou alongamentos. Isto significa que, muitas vezes, o gajo fica com o madeiro rígido e ela com o bordedo pingão, para nada. Isso, para mim, é violento.


Nota-se bem a diferença, não? Aproveito para aconselhar vivamente, “O Diário de Anne Trank” (para quem tem o livro porque o Pipi limpou o arquivo todo).



Bem, passo a palavra aos especialistas. Joana Gorjão Henriques da Pública – suplemento público – escreve um texto como os testemunhos dos “especialistas” e que na época levou-me a seleccionei alguns excertos os quais enviei por e-mail a alguns amigos para apresentar a “figura”. O interlúdio do texto é forte e cativante para atingir o alvo:
«Nasceu um novo herói português: chama-se Pipi, e foi criado na Blogosfera e acaba de passar a livro. Tem super poderes sexuais, é um falocentrista, o mais macho dos homens. Um libertino que parodia os medos masculinos, usa e abusa do vernáculo. E não, não é só para homens.»

E nesse texto vem as apreciações de que falava:
«Pedro Mexia, poeta, crítico, literário e autor do Blogue “Dicionário do Diabo” e do extinto “Coluna Infame” (e não é o Pipi), defende a figura “gera mais interesse por manter uma certa fachada biográfica”.”Se soubéssemos que era o senhor x, talvez perdesse algum encanto”.
Até porque, como diz Nuno Artur Silva, director das Produções Fictícias, o anonimato “o lado misterioso, é aqui uma peça fundamental: as ‘stars’ quanto mais inacessíveis mais poderosas são”.
Um perfil possível? Vasco Graça Moura, que publicou um desmentido de autoria em forma de poema no Blog “Abrupto”, arrisca: “Será um jovem entre os 20 e 30 anos, com uma experiência de utilização da língua portuguesa que indicia preparação universitária. E com uma insolência geracional que mostra que deve pertencer aquela faixa etária.”
Para Clara Ferreira Alves, directora da Casa Fernando Pessoa, que considera esta escrita “absolutamente notável”, o que lhe desperta a curiosidade sobre a autoria é o “grande domínio da língua portuguesa”:”quem escreve, escreve muitíssimo bem. Leu os clássicos. É alguém que escreve e que lê livros. Mas para matar o Pipi não há nada pior que o transformar numa ‘pop star’. É preciso que o autor aguente e que desapareça rapidamente, sem deixar traços. Porque é um tema finito, que se esgota.”»

«A primeira leitura pode ser um choque: eis uma catadupa de vernáculo, a intimidade masculina exposta de forma desbocada, delírios onanistas, mulheres coisificadas, homossexuais ridicularizados, relatos hardcore” de performances sexuais descritas com a crueza e a agressividade elevadas à máxima potência, poemas à Bocage, Sá de Miranda e Camões. António Lobo Antunes, José Saramago, Eduardo Prado Coelho, Anne Frank; revisionismos da História de Portugal, ensaios…Mas nada pode ser levado a sério: tudo parodiado.»

«Clara Ferreira Alves não tem dúvidas: “É para toda a gente: só (exclui) quem não tiver sentido de humor.” Também a escritora Inês Pedrosa acrescenta: “Dizer que é escrita para homens seria sexista. Não há escrita para homens: a escrita é boa ou má, aquela é definitivamente boa.”»

«Mas quando se fala do Pipi fala-se de humor. Nuno Artur Silva comenta: “Há contraste muito inteligente entre a brutalidade e a ordinarice, a recorrência sistemática ao palavrão e a sofisticação linguística e literária. Há um efeito de repetição das mesmas palavras, um imaginário obsessivamente repetido mas utilizado com grande destreza verbal e sintáctica.” A graça está ainda “numa espécie de ideologia do macho reactualizada de uma maneira muito inteligente, embora não o pareça à primeira leitura.”

«Para Vasco Graça Moura - que coloca esta escrita na continuidade de uma tradição que vai desde os cancioneiros medievais e passa por Bocage(“está espelhado na antologia de poesia erótica e satírica organizada por Natália Correia nos anos 60”)-o que há de novo neste exercício é “beneficiar de publicidade” e do facto de estar na net, ao alcance de todos.»

«Clara Ferreira Alves diz que estamos perante “uma nova forma de escrita” – “os blogues são imediatistas, pensamentos, monólogos, mas este vai buscar um vernáculo antigo e clássico, tem uma sintaxe óptima, sentido de humor”. É literatura?”Não sei muito bem o que é, mas é muito mais literatura.” Obscena?”É pornográfico, nem todo o obsceno é pornográfico mas este é. É extraordinariamente bem escrito, inteligente, culto – quem o escreveu pode não estar a fazer literatura, mas leu literatura.”»

«Já Pedro Mexia, que sublinha que a literatura obscena portuguesa tem sido satírica ou humorística (“a séria é quase sempre desastrosa”), não tem dúvidas de que se trata de literatura obscena:”Não é pornografia porque a pornografia é desleixada do ponto de vista artístico, é uma coisa utilitária. É literatura porque a elaboração e um fascínio pelas palavras e pelas palavras obscenas. Lembro-me que João César Monteiro que trabalhava o palavrão como um poeta trabalhava o verso. O Pipi interessa-se pelo sexo tanto como pela linguagem. É um delírio verbal, de temática sexual. É literatura obscena mas não só: é literatura satírica de”leit-motiv” sexual”.»

«Inês Pedrosa sublinha que, ao nível da pornografia, trata-se de “uma tentativa inédita de um trabalho sobre a linguagem e não sobre imagem”. E enquadra-a na tradição da poesia pícara com um lado infantil da língua portuguesa. Arrisca:”Se Fernando Assis Pacheco fosse vivo podia pensar que era uma brincadeira dele. Faz-me lembrar alguns poemas que ele distribuía nas redacções e por alguns amigos.»

«Vasco Graça Moura registou um fenómeno “interessante”: “Percorre uma vasta gama de calão. Considerava-me um conhecedor de calão e cheguei a conclusão que estava na instrução primária.” É literatura? “Em alguns aspectos pode ser considerado literatura. A exploração de um calão exaustivamente aplicado à temática tem algum interesse quer em termos literários, quer em termos de história da literatura.”



Fico por aqui.

terça-feira, janeiro 20, 2004

PONTO DE ENCONTRO

BRITNEYZINHA

A CORRIDA CONTINUA

Apesar da colaboração entre as agencias espaciais Russa e Norte Americana na Estação Espacial Internacional (EEI), os projectos para Marte irão-se desenvolver “a solo”.

O CONFLITO É UTIL

Estas picardias com DO dão-nos sempre jeito. Damos mais atenção aquilo que não daríamos. RB, gostei do teu texto e vou ver o filme. "...Mas o que mais gostei foi da atenção ao pormenor. O pormenor, captado quase sempre pela visão literária de Ryan, pode a qualquer momento adquirir toda a importância." Não percebo nada de cinema, e jamais me passaria pela cabeça que um plano do realizador estaria intimamente ligado pelo interesse do personagem, neste caso literário. É isso não é? Vou tentar captar. Não gosto do PS, mas gostei muito do texto.

segunda-feira, janeiro 19, 2004

APANHAR ANTES QUE SEJA TARDE

Este é o fragmento final de da escrita de fim-de-semana do Miguel Sousa Tavares.
"E o que mais assusta é olhar para Bin Laden e perceber que ele é infinitamente mais inteligente que Bush."
Eu deixei este texto do Miguel Sousa Tavares passar. Para quem o deixou ficar para traz, aqui está.
 

LIFE ON MARS - CONTAGEM DECRESCENTE(4)

LIFE ON MARS - CONTAGEM DECRESCENTE(3)

LIFE ON MARS - CONTAGEM DECRESCENTE(2)

LIFE ON MARS - CONTAGEM DECRESCENTE(1)

domingo, janeiro 18, 2004

UM PEDAÇO DO POETA

(...)
Serei tudo o que disserem
por temor ou negação:
Demagogo mau profeta
falso médico ladrão
prostituta proxeneta
espoleta televisão.
Serei tudo o que disserem:
Poeta castrado não!

O Corpo do Poeta

PERDEMOS ARY HÁ 20 ANOS

Ary dos Santos foi um dos mais talentosos poetas da sua geração, conhecido pela sua linguagem irreverente e ágil. Como ele próprio gostava de dizer ,"ser poeta é escolher as palavras que o povo merece". Fonte

sexta-feira, janeiro 16, 2004

Pedofilia - Fight fire with fire.

Penso ter uma solução. Não para o caso propriamente dito mas para acabar com a discussão
massacrante dos últimos tempos. Mas quem é que quer saber se o Sr.C.Cruz é circuncisado e tem dois sinais na pixota? Não teremos nada mais importante para discutir? Acho que já chega de bitaites. Deixem os homens da justiça trabalhar em paz e parem de intoxicar a opiniãopública.
Finda a nota introdutória aqui vai a minha proposta: Lembram-se da solução encontrada para apagar os poços de petróleo que ardiam incessantemente durante a 1ª Guerra do Golfo? Implosão. Os homens apagavam o fogo com o próprio fogo. No centro do poço a arder colocavam grandes quantidades de explosivos que após a ignição consumiam de uma forma quase instantânea todo o oxigénio circundante, extinguindo assim o incêndio. Seguindo este raciocínio proponho, que se junte ao debate o pai da pedofilia portuguesa: Padre Frederico. Convidem-no para seminários, colóquios, entrevistas. Depois divulguem listas a envolver o nome de Fátima Felgueiras, de Pedro Caldeira, de Manuel Subtil e até do Chefe Silva. Para finalizar promovam uma semana de debate com os residentes do Big Brother, e chamem o Alexandrino e a Linda Reis para o papel de moderadores.
Vão ver que depois disto mais ninguém vai querer ouvir falar de Pedofilia.

ESPALHEM A NOTÍCIA (2)

No sítio mencionado no post anterior, também podem conhecer algumas respostas às questões mais frequentes sobre esta matéria:

-A despenalização do aborto não levará a um aumento do número de abortos?
-O aborto é perigoso para a saúde física e psíquica da mulher?
-Não será que uma gravidez pode ser perfeitamente evitada, visto que uma mulher que não queira engravidar, pode usar métodos contraceptivos ou muito simplesmente não ter relações sexuais?
-Mas as pessoas devem ser responsabilizadas pelos seus erros, dizem os defensores da penalização do aborto...
-O embrião é uma pessoa?
-Faz sentido considerar o aborto como um assassínio?
-E a mulher grávida?
-Por que não se encoraja a adopção? Há muitos casais que gostariam de adoptar um bébé.
-As mulheres estarão a ser egoístas quando fazem abortos?

ESPALHEM A NOTÍCIA (1)

À revelia dos meus camaradas acabo de determinar que o Nelsu associa-se à divulgação da petição para o referendo à descriminalização da lei do Aborto. Através das agências de notícias Barnabé e Blogo Social Português, descobri que o Movimento que coordena esta acção tem um sítio na web que disponibiliza o formulário, e instruções para a angariação de assinaturas para o mesmo. O sítio do Movimento é “Nice” e tem ritmo, vejam e oiçam.
Hoje vou imprimir uns quantos formulários, e mando-me logo para o Nelsu para ver se recolho algumas assinaturas.

Cantarolando deixo a mensagem:

Espalhem a notícia
do mistério da delícia
desse ventre
Espalhem a notícia
(...)


Autor:SG, que também cá anda.
Vá lá, recolham umas assinaturas lá em casa, e mandém para a morada que o sítio indica.

PARA SE VER TEM QUE HAVER PORRADA E ÁGUA JARRA

O Barnabé indigna-se com a falta de cobertura por parte da televisão ao Fórum Social Mundial. Por outras palavras escrevem: independentemente da importância que o evento poderá ter, se não houver pancadaria à mistura não interessa. E o Nelsu disse com a sua voz grave e poderosa: "bem mandada".

quinta-feira, janeiro 15, 2004

BLOGOSFERA IMENSA


Foto de Rainer Klostermeier

A blogosfera é imensa e tem tudo. Para quem gostar de fotografia, e para os outros porque não? cá vai um blog com muitas fotografias absolutamente FABULOSAS. Muitos nus, e se procurarem bem encontram algumas individualidades, como por exemplo a Miss Schiffer, e/ou a Miss Jolie. Se encontrarem outras individualidades ou outras fotografias que gostem muito, deixem-nos o vosso comentário ou enviem-nos um e-mail. Bem, por agora basta de conversa. A ligação é esta, ou dirijam-se à nossa área “EMPATAS” e acedam a "XUPA-CABRAS".

Anti-Bush ou Anti-Americano ?

Recentemente no estabelecimento do já famoso Neslu e após mais uma conversa ligeiramente etílica. Foi-me posta a questão:

- Ó Xunca , tu não estarás a ser mais anti-americano que anti-bush ?

Em jeito de resposta aqui vão uma espécie de Gosto/Não gosto
Gosto Cinema. Não gosto de Filmes.
Gosto de Coca-Cola. Não gosto de Bourbon.
Gosto de Democracia. Não gosto que existam só dois Partidos.
Gosto de Liberdade. Não gosto de “liberdade vigiada”.
Gosto de Paz. Não gosto de Guerras.
Gosto de Liberdade de Opinião. Não gosto de ser formatado.
Gosto de Justiça. Não gosto da Pena de Morte.
Gosto de Inteligência. Não gosto de Estupidez.
Em resumo gosto dos cidadãos americanos. Não gosto do povo americano.

Penso que respondi à pergunta.

Rumo à Presidência (1)

Em jeito de Discurso de Palanque, aqui vai:
Depois de ter sido seguidor canídeo do fundador do P.S.D., tragicamente ASSASSINADO, Francisco de Sá Carneiro.
Depois de ter sido enfant terrible do seu partido.
Depois de ser derrotado em dois ou três congressos do partido.
Depois de ter sido um “excelente” Secretário de Estado da Cultura.
Depois de ter sido Presidente desse “grande” clube de futebol.
Depois de ter sido Presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz.
Agora que ainda (?????????) é Presidente da Câmara Municipal de Lisboa.
Depois de mais de cem out-doors publicados e espalhados por “essa Lisboa que eu amo” (parafraseando o Rui Reininho no Disco “in vivo” dos GNR). Além dos maravilhosos artigos de opinião no jornal “A Bola”.
Eis que chega o tão esperado e aclamado livro sobre o período em que foi secretário de estado.
Temos Homem!
Viva o Marketing Político!
Viva o Populismo Selvagem!
T-Clube Poder!
Vamos por o charmoso na Presidência!
Aceitamos inscrições para o clube de Fãs!
Que Deus ajude o nosso candidato a candidato!

Este espaço irá ter a sua regularidade em consonância com o poder de nos surpreender que este Grande Homem tem.

Saudações Populares

quarta-feira, janeiro 14, 2004

O TRILHO MAIS FÁCIL

Ontem fui parar ao RPM através da Farinha Amparo, e lá li um post sobre a TSF. Então pensei, vou atirar-me na mesma direcção.
Algum tempo atrás, Emídio Rangel tomou a liderança da TSF, e as alterações de programação efectuadas por esta direcção, não foram nada do meu gosto. Estas alterações estão compreendidas entre as Playlists Pop cíclicas, e o ridículo “Fórum Mulheres” da Margarida Pinto Correia. Contra a música Pop nada, contra Playlists repetitivas tudo. Contra Fóruns Mulher nada, contra fóruns só para mulheres tudo.
ER chegou a esta estação de rádio com a incumbência de aumentar as audiências, e até onde cheguei o seu estratagema afectou fundamentalmente a música. ER não quis compreender que a TSF embora entidade privada, entra no âmbito do “dar a conhecer”, e como já é seu hábito aproximou-se daquilo que o povo quer e não daquilo que o povo precisa, aliás, um caminho bem mais fácil. Bem, pelo menos ainda podemos ouvir o Carlos Vaz Marques a entrevistar alguns vultos da cultura e da ciência Nacionais e Internacionais depois das 19.00 no “Pessoal e…Transmissível”. Ah! Já agora, explorem também a Antena 1.

terça-feira, janeiro 13, 2004

NA GRAÇA DA SUA GRAÇA

Na sua graça o André Matos envia para os amigos esta graça:

"Novo referendo sobre o aborto para breve. Ao que consegui apurar, a
questão que será exposta aos cidadãos já está formulada e é aqui avançada em
primeira mão. A saber:

Qual a sua opinião sobre o aborto?

a) Tem sido um bom primeiro-ministro.
b) Tem sido um primeiro-ministro ineficaz.
c) Nem sequer tem sido primeiro-ministro."


Só a título de curiosidade, a minha resposta será sempre C. Mas o objectivo deste post não é opinar, mas questionar. André onde é que está essa disciplina partidária? Já sentes o poder evangelizador do Nelsu? Já vislumbras qual o caminho para a Bem-Aventurança do Senhor?

O GAJO É "DESENGAJADO"(2)

Nada que não adivinhassemos:
The Bush administration started making detailed plans for the invasion of Iraq within days of coming to office, with the President himself anxious to find a pretext to overthrow Saddam Hussein, a high-ranking former cabinet member said yesterday. E agora, qual é a desculpa?

segunda-feira, janeiro 12, 2004

O GAJO É "DESENGAJADO" (1)

Que o gajo é desengajado já nós sabíamos. Ler,aqui, aqui, e aqui.

domingo, janeiro 11, 2004

75 ANOS DE TINTIN

Hergé tinha como nome verdadeiro Georges Rémi - Hérge deriva das iniciais de Remi George –, nasceu a 22 de Maio de 1907 e morreu em 1983 tendo sido o criador de Tintin, personagem que levou à publicação de 23 álbuns de aventuras, traduzidos em mais de 60 línguas e vendidos 200 milhões de exemplares em todo o mundo.

“Tintin no país dos Sovietes” foi a primeira aventura do repórter criado por Hergé, publicada a 10 de Janeiro 1929, num suplemento do jornal belga “Vingtiéme Siècle”. Este jornal era católico e anticomunista, e por isso a origem desta aventura, a qual surgiu com alguns erros e preconceitos em relação aos soviéticos – ler o capítulo "curiosidades" aqui, bem lá no fundo da página.

De acordo com Nick Rodwell, administrador da Fundação Hergé e da sociedade Mulinsart, encarregues de proteger, promover e comercializar a obra do desenhador belga, Tintin está vivo e de boa saúde.

Para assinalar os 75 anos de Tintin, Bruxelas, França, Grã-Bretanha e Holanda poderão ver a exposição «Tintin e a cidade» até 30 de Junho.



Fonte.

quinta-feira, janeiro 08, 2004

Referência

Estes senhores e este senhor, são umas das minhas referências na blogosfera, daí a minha boleia cheia de lata para os últimos três posts. Oh, “sefaxavor”, visitem-nos. Aliás o último tem fotografias fabulosas de Marte.

Obras de caridade destas, não obrigado!

ARMIN Meiwes o canibal de Rotenburg, colabora com a Polícia Alemã para revelar a rede Canibal que opera na Europa e nos EUA. À medida que as investigações evoluem denota-se que a relação de Armin com estes rituais não são fundamentalmente de cariz sexual ou culinário, mas megalómano. Armin confidênciou ao seu amigo cibernauta Joerg, que estas praticas devem ser encaradas como ajuda humanitária, porque poderão ser a solução para o problema da super povoação do planeta, e da fome: "We could solve the problem of over-population and famine at a stroke." Alguém está disposto participar nesta obra de caridade?

Visitem

Não se vão arrepender, visitem Babes against Bush.

Um motivo legí­timo para festejar

Hoje celebram-se 25 anos da queda do regime Khmer-Vermelho. Um regime pretensamente Comunista, suportado pela China e pelos EUA, tendo sido este o legado de Pol-Pot.

quarta-feira, janeiro 07, 2004

Maldita maleita

Na sequência dos comentários daquele(s) que já se considera(m) nosso(s) comentador (es) residente(s) a “Famíla Demolidora - A mana Tólinha e os gémeos Tintins - tenho a escrever o seguinte, cara “família trabalhadora”, obrigado pela vossa colaboração e parabéns pela vossa denominação, é no mínimo original. Mas embora alguns comentários tenham sido “demolidores” - gostei - julgo terem sido algo precipitados dada a grande quantidade de erratas. Em suma posso constatar que esta “Tolinha” e estes “Tintins” sofrem de “Ej…Erupção Precoce” o que no mínimo é comprometedor para quem assume essa propensão natural para a “labuta”!!?…Dassse, maldita maleita ;- )))) Um sincero bem hajas, e contamos sempre contigo.

terça-feira, janeiro 06, 2004

Retoma para 2004

R- Em 2004 vamos iniciar a retoma económica!
P- Desculpe, disse retoma?
R- Sim, porque pergunta?
P- Peço desculpa pensei ouvi-lo a dizer retoma!
R- Mas foi isso que eu disse, em 2004 vamos iniciar a retoma económica!!
P- Como disse? Retoma?
R- Sim, exactamente, foi o que eu disse!
P- Desculpe novamente, tem mesmo a certeza que disse retoma?
R- Sim homem, foi o que eu disse.
P- Posso citá-lo nessa afirmação?
R- Com certeza, para que meio de comunicação?
P- Meio de comunicação? Não! É Para o LEVANTA-TE E RI!!!!!!!!!!!

Efeméride

Consegui após 12 Anos consecutivos, chegar a casa perfeitamente sóbrio numa noite de passagem de Ano. Um acontecimento destes merece uma comemoração - sexta dia 9 - todos ao Nelsu.

segunda-feira, janeiro 05, 2004

GOSTEI/NÃO GOSTEI (2)

NÃO GOSTEI, do artigo “Spirit 2004” do Luís Delgado (esse mesmo o que “encarna” o personagem “Luís Intestino Delgado” no Contra-Informação), no Diário Digital. Um texto, demasiado óbvio, sem paladar, com ligações forçadas, não me estimulando nenhum dos meus sentidos. Teve direito a esta referência apenas para lhe dizer “Oh Sô Luís, olhe que por 1/10 dos seus honorários eu faria o mesmo!”

GOSTEI/NÃO GOSTEI (1)

Para este fim-de-semana escolhi dois textos para “postar/artigar” e quase tinha a pretensão de classifica-los de BOM e MAU, mas acabei apenas por os qualificar como GOSTEI/NÃO GOSTEI.
Então, GOSTEI de um artigo/post sobre o processo da Casa Pia, ao qual sempre dei uma enorme distância de opinião. Contudo depois da minha investigação de Fim-de -Semana, encontrei algo sobre o “dito processo” com o qual me identifico. Um texto do Barnabé que consegue transmitir com grande clareza o enorme rol de acontecimentos que se geraram em torno do “dito caso…zzzz”. Considero o artigo muito bem estruturado, percebendo-se qual o fio condutor do autor, tornando estas linhas instrutivas e construtivas. Instrutivas pela eloquência do autor, e construtivas por descrever o ambiente do caso, por demonstrar o que devia ter sido feito para minimizar os efeitos da resistência à verdade, e o que efectivamente (não) foi posto em prática.
Não querendo ser repetitivo, considero-o valor acrescentado em comparação com tudo o que se tem escrito por aí sobre o “dito caso...zzzz”, por isso ide, ide, ide, zzzzzz,…lá ler. O post chama-se o "Triunfo dos Porcos".

quinta-feira, janeiro 01, 2004

Já voamos

Faltando apenas alguns detalhes para considerar que o Nelsu consegue fazer um voo de cruzeiro sem percalços, esta imagem é um singelo agradecimento aos camaradas de luta de cá de dentro, aos de fora, e ainda aos primeiros leitores do Nelsu que de alguma forma facilitaram a descolagem do Nelsu, uma Preta! (tenho que reconhecer que depois de algumas pretas não é fácil).

Um abraço especial para: o Zé Lí­rio, que utiliza parte do seu horário laboral (isso é muito lindo ;- ))))) para afincadamente trabalhar no futuro logótipo do Nelsu. Ao JAK do Linhas de Esquerda que já deitou muitas louras abaixo, no XIU no Café Brasil, e PINOVAI e que mesmo degenerando dos nossos gostos, de várias formas deu o seu empurrãozinho ao Nelsu. And the last but not the least, para o Ví­tor e o Paulo do Abaixo de Cão e Blog Social Português respectivamente, que tornaram possível colocarmos imagens neste e noutros artigos (posts).

Inventores

Ontem, encontrei dois motivos de interesse. O primeiro trata-se de um BLOG que divulga autores e respectivas obras de uma vertente artística que me desperta bastante interesse. O segundo é um pequeno poema de um autor anónimo que descreve a cadeia de criação de riqueza, e em simultâneo lega a importância do criador/empreendedor no desenvolvimento de uma sociedade. O que mais desejo para 2004 são inventores.

Por falta de um inventor
Perdeu-se um invento
Por falta de um invento
Perdeu-se um produto
Por falta de um produto
Perdeu-se uma empresa
Por falta de uma empresa
Perdeu-se uma fábrica
Por falta de uma fábrica
Perderam-se milhares de empregos
Por falta de milhares de empregos
Um país perdeu seu futuro
Tudo por falta de um inventor


Autor Anónimo